Olá, professores!

Inicialmente, quais são os pré-requisitos que vocês acreditam serem os mais importantes para uma escola? Nesse caso, a referência é em relação à escolha dos pais. Em outras palavras, o que está em jogo quando o assunto é a instituição em que os pequenos serão matriculados?

Antes de tudo, as respostas podem variar. No entanto, o consenso é certo quando todos afirmam prezar pelo aproveitamento do aluno em quesitos como abordagens pedagógicas, interações sociais, projetos, entre outros aspectos. Com isso, nada melhor que estabelecer uma lista com os pontos que devem ser levados em conta.

Linha pedagógica – por que é importante conhecer?

A princípio, a abordagem do que seria ensinado ao pequeno refletia na preocupação dos pais em oferecer a melhor base para as etapas futuras. Entretanto, os pais têm se voltado cada vez mais para o que a criança verá em fases iniciais, sobretudo nos quesitos formação e valores.

Com efeito, isso demonstra a necessidade que muitos deles têm para saber qual será o caminho oferecido pelo pequeno desde os primeiros passos estudantis. As expectativas sobre qual será a prática pedagógica lidera as exigências.

Estrutura – o que está por trás desse quesito?

Frequentemente, o conceito de estrutura tem sido unificado em apenas uma ideia. No entanto, quando se fala em aspectos estruturais de uma escola, o campo de abordagem é bem maior. Ou seja, questões como o espaço físico, os profissionais que atuam na escola, a forma dos educadores explorarem conceitos e conflitos também são considerados.

A estrutura engloba tudo isso. Com efeito, os responsáveis pela criança tendem a realizar visitas para acompanhar de perto como ocorrem esses relacionamentos e processos. Além disso, a linha pedagógica (mencionada acima) também pode ser considerada nesse quesito.

Programas extracurriculares – qual a importância para a formação do pequeno?

Primeiramente, a escolha por uma instituição que conte com projetos ou programas extracurriculares é essencial. Afinal, o aprendizado da criança tende a ser influenciado e otimizado por meio de ações que saiam dos limites da sala de aula.

Assim sendo, quando a escola oferece atividades que aproximem o aluno da comunidade – em ações de voluntariado, por exemplo – a experiência do pequeno fica diferenciada. Resultado disso: formação humana potencializada. Portanto, uma instituição que tenha projetos afins é um ponto bastante positivo para a escolha.

Reconhecimento – o que esperar da opinião de outros pais?

Saber a opinião de pais que já têm filhos matriculados é muito importante. Aliás, boa parte dos relatos representa um impacto considerável na escolha. No entanto, o que vai realmente influenciar é a impressão que os pais da criança terão. Até mesmo porque cada família tem um princípio e valores a serem seguidos.

Por que a opinião da criança é importante?

Outro detalhe que não pode ser ignorado é a opinião que o pequeno tem em relação à escola. Para isso, nada melhor que levá-lo em todas as visitas para que ele possa obter a própria percepção acerca do local.

Além disso, o fator sociabilidade também deve ser considerado, pois é de extrema importância que a criança se sinta bem recepcionada pelos funcionários e pelos professores. Embora o primeiro contato com os demais coleguinhas possa ser mais tímido, é inegável que a recepção por parte dos adultos representa um bom caminho.

A relação da família com a escola contribui para o aprendizado?

Sim. Estudos comprovam que quando a família estabelece uma boa relação com a escola, o aprendizado do aluno é diretamente influenciado. Afinal, esse caráter de parceria é um fator primordial para o processo de aprendizagem e os bons resultados acadêmicos.

A mesma pesquisa trouxe que a boa convivência entre os pais e a instituição também é responsável por outros benefícios: diminuição de problemas de comportamento, redução dos riscos de evasão escolar, entre outros.

Referências

FERNANDES, A. Confira as principais dicas para escolher a escola de seu filho. Correio Braziliense, Brasília, 2018.

SARAIVA, L. A; WAGNER, A. A relação família-escola sob a ótica de professores e pais de crianças que freqüentam o ensino fundamental.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome