Olá, professores!

Primeiramente, há muitos casos de crianças que apresentam determinados transtornos. Inclusive, os pequenos podem ser diagnosticados com distúrbios associados, por exemplo. Isso significa que os profissionais responsáveis pelos tratamentos precisam estar sempre por perto a fim de proporcionar as informações necessárias aos familiares dos pacientes.

No entanto, algumas correlações podem exigir uma preocupação maior, não somente dos responsáveis pela criança, mas também da escola em que ela estuda. Dentre algumas comorbidades que necessitam de atenção redobrada, uma que lidera a lista é a ligação entre o Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) e o Transtorno Opositivo Desafiador (TOD).

Nesse sentido, conhecer quais são as diferenças e semelhanças entre eles ajuda não apenas na compreensão do que esta associação representa, mas também no planejamento de estratégias. Dessa forma, as ações estratégicas auxiliam na criação de todo um conjunto de medidas na condução do aluno com TDAH e TOD.

Agora, e quando eles se manifestam de maneira separada, que sintomas podemos reconhecer em cada um? É possível perceber a maioria dos sinais dentro de sala ou não?

Quais são os principais sintomas do TDAH?

Em primeiro lugar, é preciso salientar que o TDAH é caracterizado por três grupos sintomáticos. Ou seja, existem eixos que são responsáveis por abrigarem os sintomas do TDAH: a desatenção, a hiperatividade-impulsividade e o tipo combinado. Na área da desatenção, as características mais comuns são as seguintes:

– Dificuldade para organizar tarefas;

– Perder objetos com facilidade;

– Esquecer de fazer atividades diárias;

– Deixar de escutar quando alguém dirige a palavra;

– Distrair facilmente com estímulos externos;

– Facilidade para fugir de atividades que exijam grande esforço mental;

– Descuido com tarefas escolares e tendência a não prestar atenção aos detalhes;

Por outro lado, no campo da hiperatividade-impulsividade, os sintomas costumam ser estes:

– Agitação;

– Dificuldade para ficar sentada;

– Facilidade para falar sem parar;

– Não espera a sua vez;

– Interrompe a fala de outra pessoa;

– Desempenho escolar ruim;

– Distração;

– Ansiedade.

Já o tipo combinado é a junção dos dois primeiros eixos: a desatenção e a hiperatividade-impulsividade.

Quais são os principais sintomas do TOD?

Inicialmente, as características manifestadas pelas crianças com o TOD costumam ser mais complexas do que as do TDAH. Em outras palavras, o aspecto sintomático das crianças tende a mostrar um lado agressivo, sobretudo em situações de contrariedade e frustração.

Inclusive, o TOD é marcado pela existência de um padrão global de desobediência, comportamentos dotados de hostilidade e desafios. Os sintomas estão listados a seguir:

– Desafia regras impostas por adultos;

– Discute com adultos ou qualquer pessoa que representem autoridade;

– Irrita as pessoas de forma deliberada;

– Costuma se sentir ofendido com facilidade;

– Atribui seus erros aos outros;

– Fica com raiva de forma repentina;

– Agressividade e irritabilidade;

– Senso de vingança quando contrariado.

Quais são as diferenças entre o TDAH e o TOD?

Antes de tudo, o ponto inicial que pode ajudar a diferenciar esses transtornos é o fato de o TOD ser baseado em um padrão global de desobediência. Dentre as características presentes nesse grupo, é possível perceber aspectos de comportamentos negativista, desobediente e desafiante.

Inclusive, essa série de condutas pode impactar de maneira prejudicial não somente a vida escolar, mas também o ambiente familiar e profissional – na fase adulta. Outro detalhe é que o diagnóstico considera a manifestação de tais sintomas em diferentes espaços e contextos.

Dessa forma, a diferença mais evidente é a padronização dos comportamentos presentes no TOD. No caso do TDAH, não existe este padrão definido. Além disso, as situações de contrariedade podem ser resolvidas de forma mais fácil do que no TOD, por exemplo.

Aliás, outro ponto que difere o TOD do TDAH é o fato de o primeiro ser um transtorno disruptivo, pautado em um problema de fundo psiquiátrico. Já o segundo é um transtorno neurobiológico com influência genética.

Nesse sentido, algo que também está presente nos casos de TOD é a agressividade após qualquer situação de contrariedade e frustração. No TDAH, isso é improvável que aconteça.

Existem semelhanças entre os transtornos?

Na verdade, existem influências do TOD em casos de crianças que vivem com o TDAH, sobretudo em uma comorbidade. Assim sendo, estudos revelam que o TOD está associado ao TDAH em 50% dos diagnósticos.

Com isso, os sintomas do TOD podem se sobressair com mais facilidade em casos de crianças com TDAH com ligação a este transtorno. Portanto, pensar em maneiras de tratar as condições é a única saída para propiciar uma maior qualidade de vida a eles.

Qual o tratamento aconselhável?

Antecipadamente, a melhor intervenção é aquela que conta com uma equipe de especialistas. Com efeito, os terapeutas tendem a investigar as comorbidades existentes, além de entrevistar os pais para saberem sobre os detalhes envolvidos na vida da criança.

Técnicas bem-aprimoradas e o uso de medicamentos também não estão descartados, principalmente no caso de comorbidades envolvendo o TOD e o TDAH. Por fim, a comunicação entre a família da criança, a escola e os terapeutas é uma excelente forma de trocar informações a respeito do pequeno.

Referências

ABDA. O que é déficit de atenção?

GREVET, E.H; et al. Transtorno de oposição e desafio e transtorno de conduta: os desfechos do TDAH em adultos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 2007.

SERRA-PINHEIRO, M.A et al. Transtorno desafiador de oposição: uma revisão de correlatos neurobiológicos e ambientais, comorbidades, tratamento e prognóstico. Revista Brasileira de Psiquiatria, 2004.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome