O RETORNO AS AULAS DOS ALUNOS COM TEA: DICAS IMPORTANTES PARA OS PROFESSORES!

0
2038

 

O início de ano letivo sempre traz novidades. Nessa época, a ansiedade toma contados pais tanto quanto aos alunos, já que as surpresas positivas de mais um ciclo educacional é inevitável e contribuem para o crescimento intelectual e pessoal de cada um, e reforçando o convívio e a socialização.

Mas todo cuidado precisa ser redobrado no trato de crianças com autismo durante este processo de início de aulas. Já que a rotina é algo de suma importância para o desenvolvimento do Autista.

No primeiro dia de aula é normal estarem mais chorosos, mas tudo depende também do nível da criança – se ela tem um TEA leve, moderado ou grave.

Mas a questão maior é como recebe-lo de uma maneira que a ansiedade não atrapalhe e ainda o estimule e desperte a confiança e o interesse.

Tudo para eles é muito visual!

O indivíduo com TEA pode apresentar importante déficit na linguagem receptiva (comportamento de ouvinte), responsável pela capacidade de compreender a palavra falada, o que pode causar problemas na aprendizagem.

Estudos mostram que essas crianças apresentam memória visual preservada, que tem sido utilizada entre as estratégias visuais para melhorar o aprendizado.

Veja algumas dicas importantes para tornar a adaptação mais natural e segura:

  • Falar pouco, somente as palavras mais importantes, para que ele processe tudo que está sendo falado.
  • Evitar falar alto e toda situação que envolva muito estímulo procurar falr pouco (pode ser até nocivo para a criança). Converse sobre a escola e as atividades que serão realizadas como algo muito positivo.
  • Pedir às famílias um relatório das preferências e coisas que causam desagrado a cada criança.
  • Relacione com as coisas que a criança goste mais, como as musiquinhas, as atividades, a hora de brincar, etc.
  • Utilizar estas preferências e materiais de agrado para a criança na aula o no pátio para estabelecer um vínculo com a escola e as pessoas do ambiente escolar.
  • Tentar conhecer as capacidades de cada criança para utilizá-las como incentivo para as atividades de ensino (pintar, recortar, etc.).
  • Estimular a participação em tarefas de arrumar a sala, ajudar a entregar materiais às outras crianças, etc.
  • Em casos de birra, o que pode ser absolutamente normal, a primeira dica é não se apavorar, e utilizar de técnicas de modificação de conduta (time out, desvio de atenção, etc.).
  • Respeitar a necessidade de estar um momento sozinho, de caminhar ou dar saltos ou simplesmente perambular para se acalmar (pode ser utilizado como prêmio após uma atividade).

O retorno ao ambiente escolar com estas e outras técnicas se torna mais fácil porque o aluno Autista consegue ter uma associação melhor desse espaço, e vale lembrar que no caso de não conseguir acalmar uma birra, é importante explicar aos outros alunos o que está acontecendo, e colocá-los para desenvolver uma atividade em grupo, para que possa dar mais atenção a ele.

O vínculo entre professor e aluno, começa nos primeiros dias de aula e torna-se inesquecível para toda a vida, e é por isto que o professor precisa de subsídios para que este vínculo aconteça de forma natural e duradoura.

Um desses subsídios para lidar com o aluno autista em sala de aula, é encontrado em nosso curso on-line de Autismo, um curso rápido e que pode contribuir com técnicas e informações para o sucesso escolar de seus alunos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome