Conheça a prática pedagógica que estimula a oralidade e a aprendizagem dos alunos, da maneira mais lúdica e interativa.

Olá professor, tudo bem?

Estamos vivendo uma era em que a mídia e as tecnologias estão cada vez mais acessíveis às crianças; Os livros estão sendo deixadas de lado, a história está sendo esquecida, tornando um desafio para o educador fazer com que as crianças em idade escolar tomem gosto pela leitura.

Sabemos que a leitura e a escrita têm na educação uma função social, que contribui para a comuicação básica, e devem ser adquiridas desde cedo e de várias formas.

Sendo assim, no conteúdo de hoje em nosso Blog, você vai aprender sobre a valiosa prática da CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS, onde o professor deixa de apenas apresentar a literatura, mas torna-se o protagonista no desenvolvimento da aprendizagem e da oralidade dos pequenos.

Muito mais que ler, lhe convido a experienciar está poderosa estratégia pedagógica: a CONTAÇÃO DE HISTORIAS.

Vamos lá?

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS: UMA ESTRATÉGIA PODEROSA DE ORALIDADE E APRENDIZAGEM

Sabe-se que, na Antiguidade Greco-romana as notícias, lendas, histórias e poemas eram transmitidos ao público através de canções e não escritos em papel. Ao contador de histórias, que também era chamado de bardo, incumbia-se a missão de trazer e levar acontecimentos dos lugares desconhecidos aos povoados, vilarejos e reinos por onde passava, já que ele era um ser nômade. Nas narrativas realizadas por estes trovadores, era indispensável à audiência, as vozes que o corpo expressava através dos movimentos e a relação que o narrador criava com o público.

Assim, os cidadãos reuniam-se perto de fogueiras, em baixo de árvores, para se envolverem com os ‘causos’ contados. Diante da reação do público, o menestrel recorria a fatos da memória ou a riqueza de sua imaginação 32 para agradar, surpreender ou apavorar aos seus ouvintes. Desta maneira, as mensagens eram repassadas para outras pessoas gerando novos saberes.

Estamos vivendo uma era em que a mídia e as tecnologias estão cada vez mais acessíveis às crianças; as informações chegam pelos meios de comunicação ampliando os horizontes e os conhecimentos. Os livros estão sendo deixadas de lado, a história está sendo esquecida, tornando um desafio para o educador fazer com que as crianças em idade escolar tomem gosto pela leitura.

Diante dessa realidade educativa, que se mostra fragmentada e que pouco favorece a aprendizagem, faz-se fundamental buscar novas alternativas metodológicas que possibilitem ao professor o desenvolvimento de habilidades e competências para trabalhar com a linguagem oral e, através dela, garantir o acesso dos seus alunos à cultura, como um bem universal a ser desfrutado e desencadeador da produção de novos conhecimentos.

A contação de história nas escolas era uma forma de distrair as crianças e hoje ela vem ressurgindo na figura do contador de histórias sendo um valioso auxílio na prática pedagógica. Desde aqueles tempos remotos e ainda hoje, a necessidade de exprimir os sentidos da vida, buscar explicações para nossas inquietações, transmitir valores de avós para netos têm sido a força que impulsiona o ato de contar, ouvir e recontar.

Sabemos que nem sempre “contar histórias infantis” nas escolas de ensino fundamental é uma prática estimulada e valorizada, entretanto muitos educadores ainda valorizam a contação de história, essa técnica e nada mais do que muito importante para a construção do imaginário da criança, além, de exercer também muitos outros estímulos importantes para a criança, por isso futuros professores podem revalorizar a contação de histórias, mostrando que isso é muito importante no desenvolvimento da criança. Com essa atividade, ela usa a sua imaginação, ou seja, cria seu próprio mundo, o “das fantasias”.

O professor pode alcançar muitos objetivos por meio dela, pois ler histórias para criança é uma atividade prazerosa, com a qual poderá fazê-la expressar suas próprias percepções de mundo.

É preciso tornar as crianças familiarizadas com os livros, orientando-as quanto ao manuseio e à sua conservação, já que com as histórias elas aprendem brincando a respeitar regras, se divertirem, seja através da imitação, socialização, interação ou dificuldade a ser superada.

Oferecer a elas a compreensão das palavras abstratas e utilizando a motivação, o envolvimento nos símbolos contidos nas obras literárias e a imaginação no sentido de seduzir o ouvinte e convidá-lo a se apaixonar pelo livro, pela história, pela leitura para dessa maneira promover a aprendizagem.

A leitura dever ser cultivada desde a primeira infância. É muito importante quando a mãe conta histórias para o seu filho ainda bebê, pois mesmo sem interagir ou entender, este vai se sentindo confortável e concentrado, até o momento ao qual passa a ter entendimento do contexto criando prazer e admiração pelas histórias.

Mesmo antes de aprender a ler, as crianças devem ser colocadas em contato com a literatura. Ao ver um adulto lendo, ao ouvir uma história contada por ele, ao observar as rimas (num poema ou numa música), os pequenos começam a se interessar pelo mundo das palavras.É o primeiro passo para se tornarem leitores Literários, percurso que vai se estender até o fim do Ensino Fundamental.

Contar histórias para crianças deve ser um ato constante, não só porque executá-lo é o início da aprendizagem para ser leitor, mas para provocar a imaginação. Deve dar prazer a quem conta e ao ouvinte. Constitui fonte de prazer e encantamento pela vida.

É ouvindo histórias que se pode descobrir o mundo imenso de conflitos e soluções, que se podem sentir novas e diferentes emoções, conhecerem lugares novos, começar a formar opiniões, critérios, conceitos e novos valores. A história contada através da oralidade permite a interação entre contador e ouvintes, já que o corpo e a voz propiciam vivências comunitárias, perdidas na aceleração da vida moderna.

Muitos educadores ainda não descobriram o quanto as histórias podem ajudá-los. O principal objetivo de contar uma história é divertir, estimulando a imaginação, mas uma história bem contada pode aumentar o interesse pela aula ou permitir a auto-identificação, favorecendo a compreensão de situações desagradáveis e ajudando a resolver conflitos.

Sabe-se que a leitura e a escrita têm na educação uma função social, enfatizada na comunicação entre as pessoas, e ambas devem ser adquiridas desde cedo e praticadas de várias formas.

Sendo assim, é importante que a criança tenha acesso a diferentes tipos de textos, onde ela construirá sua aprendizagem.

Até mesmo, as crianças não alfabetizadas podem usufruir desta proposta, pois, inicialmente com a leitura de imagens, observação da direção de escrita estarão desenvolvendo habilidades na oralidade, interpretação e assim se apropriarão dos componentes para a aprendizagem da leitura e escrita.

BENEFÍCIOS DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NA APRENDIZAGEM

· Desenvolver a linguagem oral;
· Ler, ainda que de forma não convencional;
· Fazer com que eles percebam que são capazes de contar, interpretar e reescrever o que foi lido e trabalhado.
· Descrever cenários e personagens;
· Incentivar o trabalho em equipe.
· Identificar títulos de histórias conhecidas;
· Identificar personagens das histórias contadas, marcas temporais presentes, letras e palavras conhecidas presentes nos títulos das histórias e nomes de personagens.
· Sistematizar situações-problema, a partir de contos, para as crianças refletirem criando alternativas de acordo com seus pensamentos;
· Identificar soluções de conflitos presentes nos contos;
· Buscar no mundo da fantasia possíveis soluções para os problemas de seu mundo real.
· Desenvolver o senso crítico e a criatividade.
· Expressar-se por meio de desenhos, pinturas e colagens;
· Produzir textos, tendo o professor como “escriba” ajustando o falado ao escrito, refletindo sobre o sistema de escrita alfabético, adequando o aluno a norma culta.

ESTÍMULOS CRIADOS ATRAVÉS DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS

· Estratégias de leitura.
· Unidades fonológicas e apropriação da base alfabética.
· Registro de quantidades, situações-problemas envolvendo adição e subtração, gráficos e tabelas simples.
· Comparação de características e comportamentos entre os seres humanos envolvendo condições do ambiente.

DICAS DE ATIVIDADES

TEATRINHO

Escolher um história por semana; caracterizando-se todos os dias, mesmo que de modo variado de acordo com o componente trabalhado Ex, português, matemática, ciências, história, direitos humanos, etc. ; explorar ao máximo cada conto ( ou texto escolhido ).
Obs: a repetição ajudará no despertar das crianças, desde a aprendizagem científica à conscientização da moral da história. É muito importante a criatividade para o trabalho semanal, do contrário tornará enfadonho para as crianças.
Sacos, caixas e fantoches de meias, palitos e dedoches fazem muito sucesso no lúdico.
Instigar, causar curiosidade é fundamental para o despertar dos meninos e meninas. Associar à contação o vídeo, assim farão paralelo da semelhança ou não da história contada.
Montar grupinhos de teatros, que sejam pessoas convidadas, como outros professores, alunos de séries maiores são bons atrativos. (é importante se tudo seja acordado anteriormente )
É imprescindível a realização de atividades sobre a história escolhida, não importando o componente, desde que bem planejado pelo professor.

O SARAU
O sarau é uma boa dica para culminar as ações realizadas, com isso os pequenos seriam os protagonistas da festa. Dramatizariam, cantariam, recitariam, etc. Tudo de acordo com o trabalho realizado.
Obs- O professor participaria ativamente das apresentações. Isso causa impacto positivo para equipe de pequenos.

DICAS DE HISTÓRIAS INFANTIS
• Rapunzel
• Chapeuzinho Vermelho.
• Branca de Neve e os sete anões.
• Os três porquinhos.
• João e o Pé de feijão.
• Pinóquio.
• João e Maria.
• Alice no país das maravilhas.
• E tantas outras mais.

Sendo a escola um lugar de construção e reconstrução de conhecimentos, deve dar atenção à contação de histórias, pois ela contribui na aprendizagem escolar em todos os aspectos: cognitivo, físico, psicológico, moral ou social, proporcionando um maior desenvolvimento perceptivo no educando. A respeito de seus benefícios são enormes na aprendizagem de conteúdos, na socialização, na comunicação, na criatividade e na disciplina.

O professor exerce papel fundamental nesta prática, e assim contribui para a aprendizagem e oralidade de seus alunos, de maneira lúdica e afetiva desenvolve os pequenos para um mundo não só de fantasias, mas também de realidades enquanto ser humano.

E para isto preparamos uma capacitação on-line, onde conteúdos como este e muitas práticas são ensinadas para as estratégias em sala de aula. Conheça agora clicando aqui,

nossa capacitação em Musicalização e Contação de Histórias, e torne-se o protagonista no sucesso escolar de seu aluno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome