O contato da criança com a música se faz nas situações de convívio social, por meio de brincadeiras e manifestações espontâneas e pela intervenção de familiares e professores.

O ambiente sonoro, assim como a presença da música em diferentes e variadas situações do cotidiano fazem com que os bebês e crianças iniciem seu processo de musicalização de forma intuitiva.

A expressão musical das crianças nessa fase é caracterizada pela ênfase nos aspectos intuitivo e afetivo e pela exploração (sensório-motora) dos materiais sonoros.

As crianças integram a música às demais brincadeiras e jogos: cantam enquanto brincam, acompanham com sons os movimentos de seus carrinhos, dançam e dramatizam situações sonoras diversas, conferindo “personalidade” e significados simbólicos aos objetos sonoros ou instrumentos musicais e à sua produção musical.

Os conteúdos podem ser tratados em contextos que incluem a reflexão sobre aspectos referentes aos elementos da linguagem musical.

O professor poderá aproveitar situações de interesse do grupo, transformando-as em improvisações musicais.

Os primeiros anos de aprendizagem são propícios para que a criança comece a entender o que é a linguagem musical, aprenda a ouvir sons e a reconhecer diferenças entre eles.

Todo o trabalho a ser desenvolvido na educação infantil deve buscar a brincadeira musical, aproveitando que existe uma identificação natural da criança com a música. A atividade deve estar muito ligada à descoberta e à criatividade.

Poderá, por exemplo, explorar os timbres de elementos ligados a um projeto sobre o fundo do mar (a água do mar em seus diferentes momentos, os diversos peixes, as baleias, os tubarões, as tartarugas etc.)

O professor deve observar o que e como cantam as crianças, tentando aproximar-se, ao máximo, de sua intenção musical.

Como e porque construir um instrumento musical,

  • – O aproveitamento de sucata para isso e sua importância ecológica nesse fazer,
  • – Perceber e descobrir a importância dos instrumentos musicais para a música,
  • – Desenvolver o respeito pela natureza através da música
  • Desenvolver a coordenação motora:
  • – Usar todas as aulas do período para desenvolver atividades que proponham movimentar o corpo sob vários ritmos e canções
  • Desenvolver a coordenação motora fina
  • – Poder se expressar espontaneamente combinando movimento e música,
  • – Improvisar movimentos/ maior desenvoltura na ação para desinibir e socializar
  • – Poder se expressar espontaneamente combinando movimento e música,
  • – Improvisar movimentos/ maior desenvoltura na ação
  • Desenvolver a memória musical:
  • – Desenvolver a expressão verbal (versos na roda),
  • – Escutar a si e ao outro,
  • – Respeitar o outro quando escolhido,
    • Respeitar a seqüência da brincadeira

Aprofundando o olhar para as diferentes e infinitas propostas que podem ser trabalhadas, identificamos alguns dos aspectos do desenvolvimento da criança:

  • a ESCUTA
  • a ATENÇÃO
  • a PERCEPÇÃO de diferenças e semelhanças
  • a IDENTIFICAÇÃO dos sons

Dicas de propostas de situações lúdicas e gradativas de aprendizagem com foco no desenvolvimento inicial da sensibilização da escuta e da atenção.

  • Escutar os ruídos do ambiente: num passeio pela área externa da creche, chamar a atenção para um ruído de motor, ou o canto de um pássaro, pessoas conversando, por exemplo;
  • Escutar diferentes barulhos e sons: ao escutar um som, identificá-lo nomeando foi um carroé um avião; foi a campainha; são pessoas etc.;
  • Escutar e movimentar-se na direção da fonte sonora: fazer o som em diferentes lugares, na sala ou área externa e as crianças movimentam-se nessa direção (“procurar de onde vem o som!”);

Movimentos, gestos e percepções a importância desse desenvolvimento

Segundo o Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil ( p. 39) “[…] o movimento é uma importante dimensão do desenvolvimento e da cultura humana. Os seres humanos movimentam-se desde o nascimento,adquirindo habilidades motoras durante toda a vida.

Sabemos que à medida que as crianças crescem e ampliam seu domínio sobre seus movimentos, o modo de expressão característico dessa faixa etária integra gesto, som e movimento. Para os entendidos deste assunto, o fazer musical acontece quando há interação entre a música e o ser. Portanto, aproximadamente a partir dos três anos, as brincadeiras com movimento são fonte de prazer, alegria e possibilidade efetiva para o desenvolvimento motor e rítmico, sintonizados com a música.

Por meio das diferentes linguagens, como a música, a dança, o teatro, as brincadeiras de faz de conta, elas se comunicam e se expressam no entrelaçamento entre corpo, emoção e linguagem.

As crianças conhecem e reconhecem as sensações e funções de seu corpo e, com seus gestos e movimentos, identificam suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo, ao mesmo tempo, a consciência sobre o que é seguro e o que pode ser um risco à sua integridade física.

Na Educação Infantil, o corpo das crianças ganha centralidade, pois ele é o partícipe privilegiado das práticas pedagógicas de cuidado físico, orientadas para a emancipação e a liberdade, e não para a submissão.

A escola por sua vez, precisa promover oportunidades ricas para que as crianças possam, sempre animadas pelo espírito lúdico e na interação com seus pares, explorar e vivenciar um amplo repertório de movimentos, gestos, olhares, sons e mímicas com o corpo, para descobrir variados modos de ocupação e uso do espaço com o corpo (tais como sentar com apoio, rastejar, engatinhar, escorregar, caminhar apoiando-se em berços, mesas e cordas, saltar, escalar, equilibrar-se, correr, dar cambalhotas, alongar-se etc.). Fonte do texto: BNCC.

Atividades de ritmos e música para trabalhar a percepção musical:

Caixinha surpresa

Colocar em uma caixinha vários nomes (ou figuras) de animais e objetos sonoros. Ao ritmo de uma parlenda de escolha, as crianças passam a caixinha de mão em mão. Ao final da parlenda, aquele que ficou com a caixa na mão retira um nome e tenta imitar o seu som para que a turma adivinhe qual é o animal ou objeto sonoro.

Dicas de atividades para gestos e movimentos:

  • As mímicas faciais e gestos
  • Brincadeiras de roda e danças circulares
  • Brincadeiras que envolvam a interação, a imitação e o reconhecimento do corpo como: ” Siga o Mestre” e ‘Seu Lobo”
  • Representar experiências observadas e vividas por meio do movimento como: Derreter como um sorvete, flutuar como um floco de algodão, balançar como as folhas de uma árvore, correr como um rio, voar como uma gaivota, cair como um raio etc.
  • Brincadeiras de coordenação do movimento e ao equilíbrio: saltar um obstáculo, circuitos diferenciados.
  • Descoberta e exploração do movimento. 
  • Materiais que rolem pelo chão, como cilindros e bolas de diversos tamanhos,
  • Bolas de diferentes tamanhos para serem chutadas, lançadas, quicadas.
  • Túneis de pano 
  • Móbiles e outros penduricalhos.

Brincadeira para associar sons corporais e letras de músicas

 “Ole-lê raca” é uma brincadeira musical que associa  sons produzidos pelo corpo em sequências pré-estabelecidas com a letra da música; também exige a compreensão e interpretação de símbolos. A iniciação da simbolização na educação infantil é importante pois a criança conviverá sempre com símbolos, seja na matemática ou em outras áreas do conhecimento.

Você pai ou professor que entende a importância da musica, movimentos e sons para a aprendizagem infantil, mas precisa ampliar seus conhecimentos, conheça agora mesmo a nossa capacitação on-line com dicas e conteúdos divertidos e eficazes em PSICOMOTRICIDADE, é só clicar e começar!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome