Uma turma que tenha aluno com autismo pode significar desafios. Muitos de vocês já devem ter ficado apreensivos quando tomaram conhecimento de que na classe havia alguma criança com TEA (Transtorno do Espectro Autista). Esse receio pode ter sido motivado pela inexperiência ou falta de contato. 

No entanto, tal situação está mais debatida atualmente com o auxílio de especialistas, com a disseminação de conteúdos bem fundamentados e por meio de canais digitais. A sociedade está voltada para a questão do autismo, o que aproxima médicos, terapeutas, educadores e outras categorias ao tema. 

Tratar sobre educação infantil e autismo exige parada obrigatória nas formas de atrair a atenção dessas crianças e proporcionar a elas o aprendizado e o desenvolvimento. As atividades lúdicas são essenciais para o aspecto social, cognitivo, psicomotor e emocional. Elas aproximam os alunos e quebra as barreiras que impedem esse contato. Abaixo vocês conferem algumas atividades lúdicas para crianças com autismo.

Quais os benefícios das atividades lúdicas?

De acordo com estudos, essas atividades proporcionam a criatividade, solução de problemas, aprendizagem de papeis sociais, aumento da capacidade em vários aspectos. 

Conhecendo os colegas de sala

Aqui vocês podem reunir todos os alunos no chão para que haja mais contato com todos os presentes. O próximo passo é pedir que cada um fale o nome e compartilhe uma informação sobre si mesmo. A partir disso, você pode observar quem tem os mesmos gostos e falar para as crianças com preferências afins se manifestarem.

– Qual o objetivo?

Promover interação entre os alunos e que cada um conheça o coleguinha. A intenção de cruzar as informações é observar que alunos têm mais semelhanças ou diferenças com o outro, uma forma também de ensinar que diferenças existem. 

Colagem sensorial

Pinterest

O aluno com TEA pode demonstrar resistência a determinadas texturas. Dependendo da sensação, o incômodo e a irritação são garantidos. Vocês devem disponibilizar uma cartolina para que a criança realize as colagens com diferentes tecidos e materiais (plástico bolha, algodão, esponja de aço e outros).

– Qual o objetivo? 

Proporcionar a descoberta gradual através do toque e, consequentemente, das novas sensações. Isso pode abrir possibilidades para o aluno ter contato com outras texturas, aumentando sua percepção acerca de cada material. 

Matemática saborosa

Aqui vocês precisam de ingredientes bastante convidativos: doces (balas) e salgadinhos. A criança com autismo, a depender do grau do espectro, pode estar apta para aprender as operações matemáticas. Peça aos pequenos que classifiquem os itens por cor, forma outra característica. Aposte em objetos de tamanhos e texturas diferentes.

– Qual o objetivo? 

Ensinar habilidades matemáticas básicas (adição, subtração) e também incentivá-los a contar os itens. Depois da atividade, nada mais justo que liberar a comilança das guloseimas. Afinal, criança é criança. 

Músicas para acalmar

É normal que o aluno com autismo se sinta estressado, principalmente quando há uma sobrecarga de sensações. Ele não consegue processar todas essas informações e acaba por não controlar as emoções. Escolher músicas mais calmas tem um porquê. As músicas têm efeito terapêutico. 

– Qual o objetivo?

Fazer com que a criança volte sua concentração para o presente e fique livre do estresse anterior. Tudo de maneira bem sutil para não agitá-la. 

Organizar um espaço para ser o cantinho do descanso 

Ms Houser

Ainda sobre o estresse causado pelo excesso de estímulos sensoriais, vocês podem separar uma parte da sala para ser o cantinho do descanso. Se for possível, disponibilizem almofadas e puffs que sirvam para compor o espaço. Lembrando que outros alunos também podem utilizar essa parte para tal finalidade, desde que não aglomere muita gente. 

– Qual o objetivo? 

Proporcionar alternativa à criança diante de uma situação de estresse. Durante esse descanso, o aluno pode fazer outra atividade que sirva para acalmar. Caso seja impossível separar um cantinho, escolha um local mais tranquilo e que tenha a supervisão de um responsável. 

Existe uma série de atividades lúdicas que podem ser eficazes para a educação voltada para alunos com autismo. Escolham aquelas que tenham o perfil da criança e bom trabalho!

Fontes:

MENDES, Maria Aline Silva. A importância da ludicidade no desenvolvimento de crianças autistas. 2015. Monografia (Especialização em Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão Escolar) – Universidade de Brasília, 2015. RHEMA educação. 25 atividades para estimular habilidades em crianças com autismo: Rhema Educação. E-book. Disponível em: https://d335luupugsy2.cloudfront.net/cms/files/129701/1585820444EBOOK_Rhema25AtividadadesAlunosComAutismo.pdf?utm_campaign=resposta_automatica_da_landing_page_e-book_25_atividades_para_criancas_com_autismo&utm_medium=email&utm_source=RD+Station. Acesso em: 06 abr. 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome